Arquivo para agosto \28\UTC 2011

Top 5: bandas pop punk que você deveria ouvir.

Por ter os meus ouvidos bem ecléticos, eu já ouvi todo tipo de porcaria de música, de cada estilo diferente. E o que mais me chama a atenção é o Punk e todos os seus derivados (punk rock, pop punk, punk alternativo e bla bla bla).

O pop punk, estilo que é tema aqui hoje, está presente na maioria das bandinhas de hoje em dia.

Eu não estou falando de Restart e Cine, mas, no cenário brasileiro, algo como Nx Zero. Ou seja, são adolescentes – pelo menos no começo da banda eles são né – que falam dos problemas no dia-a-dia de um jovem, porém diferentemente do punk clássico, ele costuma usar algumas batidas diferentes, e não só o rock nu e cru.

Então, parei pra pensar nas bandas pop punk que eu mais tenho ouvido, e resolvi dar umas dicas pra você baixar:

Continue lendo ‘Top 5: bandas pop punk que você deveria ouvir.’

Anúncios

Então começamos a gravar o clipe – Parte 2.

Como falei da ultima vez, não havíamos acabado de gravar o clipe de inglês sendo que ainda faltava a parte da banda tocando. Não falta mais.

Depois de duas semanas da primeira gravação (e graças a Deus a professora adiou a entrega pra primeira semana de setembro) resolvemos acabar de gravar a parada toda.

Na verdade primeiro refilmei minha parte, que eu achei horrível, e depois fomos pro momento mais importante do clipe. Não irei revelar detalhes para criar suspense e surpresa para vocês. Só posso adiantar que ficou o mais hilário que conseguimos.

E agora tamos só editando o vídeo. Provavelmente nessa sexta já fica pronto.

Mas então, no maior estilo “behind the scenes”, gravamos um pequeno vídeo mostrando nosso aquecimento pra gravação. Saca só:

E mais uma coisinha que não têm nada a ver com o clipe: entre as gravações do primeiro dia, Thiago gravou um vídeo pra descontrair. É idiota, mas da pra rir. Com vocês, o rap do doce:

É por isso que o Brasil não vai pra frente.

Você sabe o porquê do nosso país amado não avançar nesse mundo azul anil?

Então deixa que esse menino (ou será menina?) te explica:

Esse é o problema da internet, qualquer idiota pega uma camêra, fala um monte de merda, bota na internet e talvez até ganhe alguma fama. Caso contrário, pode tentar criar um blog com um nome bem escroto, tipo Politicamente Corretos, e ficar enchendo o saco dos seus amiguinhos para que te ajudem a divulgar.

Esse é o espírito.

Jogos baseados em filmes.

Antes de eu começar a escrever meu post, preciso me apresentar, acho que os leitores nem foram avisados da minha chegada aqui. Meu nome é Lucas de Castro Lopes, tenho 16 anos, e vou postar sobre jogos aqui no Politicamente Corretos, quando eu tiver vontade. Quando eu tiver uma coluna fixa com posts definidos por uma data específica, o céu vai cair. Tenho um blog, o Ansiedade Demoníaca, no qual não falo apenas de jogos. Tenho uma vida também né?

Jogos me acompanharam a vida inteira, e geralmente quando temos um filme famoso lançado no cinema, um jogo semelhante é lançado para tornar o filme mais famoso pelo mundo. Infelizmente, nem sempre (leia-se: 99% das vezes) os jogos baseados em filmes se saem bem em uma crítica, eu mesmo posso contar nos dedos o número de games baseados em filmes que marcaram minha vida.

Vou postar um top não sei quantos dos melhores e piores jogos baseados em filmes que eu já joguei.

Esse está nessa lista

Os piores jogos de filmes:

4- Spider-man 3 (Playstation 2)

Esse foi o pior jogo do Homem Aranha já lançado para o PS2, na minha opinião. Com gráficos e jogabilidade inferiores ao antecessor, o Spider-man 2 (que está na lista dos melhores jogos, aliás), esse jogo é realmente uma merda. O que eu comprei ainda veio em francês, ou seja, jogar às cegas um jogo terrível = morte.

3- Transformers: The Game (Playstation 2)

O primeiro jogo baseado no filme dos Transformers é bem feinho. Jogabilidade mais ou menos, gráficos até bons para um PS2. Merece um lugar na lista dos piores por ser um dos jogos mais difíceis e ao mesmo tempo sem graça que eu já joguei. Todos os vilões são os mesmos.

2- Superman 64 (Nintendo 64)

Grande parte dos gamers consideram esse jogo o pior jogo de todos os tempos. Também né, o jogo não tem leis da física e é muito feio, quando se fala de gráficos, mesmo para um Nintendo 64. Além da névoa pra esconder as falhas do jogo, ele ainda tem alguns momentos ridículos de ultrapassagem de paredes. Normal né?

1- G.I. Joe: The Rise Of Cobra (Xbox 360)

Você deve estar se perguntando: como um jogo de Xbox 360, um videogame com alta qualidade gráfica e vários jogos bem-sucedidos pode ser o pior jogo? Boa pergunta. O game é um dos raríssimos casos de “filme muito foda, jogo lixo tóxico“, com seus gráficos de PS2 e jogabilidade digna de arcades do bar da esquina. Não recomendo esse jogo para ninguém. Cuidado ao ver o vídeo!

Agora os melhores jogos de filmes:

4- MIB: The Game (Playstation)

Um dos primeiros jogos de tiro que eu joguei, e gostei muito. Além de gostar da série de filmes, esse jogo marcou muito minha infância, apesar da jogabilidade fraca. Um dos poucos jogos de filme que se saem bem.

3- Spider-man 2 (Playstation 2)

Diferente do seu sucessor, esse game do homem aranha tem gráficos melhores, uma jogabilidade aceitável e uma história bem melhor, e também vence nas habilidades dos personagens. Um dos casos em que o sucessor é uma merda comparado ao antecessor.

2- Transformers 2: Revenge Of The Fallen (PC)

Esse jogo conseguiu se superar em relação ao seu antecessor. Houve uma notável melhora nos gráficos e na jogabilidade, oferecendo maiores possibilidades aos jogadores. No meu PC esse jogo fica lentão, não sei porque.

1- Toy Story 2 (Playstation)

Esse jogo pode ser considerado um dos mais épicos que eu já joguei na minha vida! Gráficos ótimos para um jogo de desenho para o PS1, e uma história que prende o jogador por horas. Esse sim é relíquia!

Então, gostaram do meu post? Achou nerd demais? Tudo bem, eu paro de postar aqui Podem comentar aí sobre meu estilo de escrever, e se quiserem me ver falando de outras coisas além de jogos, visitem meu blog, o Ansiedade Demoníaca. Às vezes o Barbosa posta lá também. Valeu!

Top 3 – músicos que eu admiro.

Quando você está acordado de madrugada e sem ter o que fazer, você começa a pensar sobre várias coisas que você não pára pra pensar normalmente.

E em um desses momentos dorgados de sono, aqui estou eu escrevendo esse post, exatamente às 00:35 de um domingo. Então, se tiver algum erro de português nesse porra, foda-se, não tou nem aí, reclama no Procon.

Como tou num ócio fudido, comecei a pensar em todos os músicos que eu acho simplesmente fodas, seja pelo talento, pela história de vida, ou pelo alto índice de testosterona nas veias. Lá vai.

3 – Eminem

Quando eu ainda não conhecia seu trabalho muito bem, eu ouvia de muitas pessoas que “Eminem era um marginal”, um “sociopata  de 1º grau que escreveu uma música em que ele mata a mãe dele”.

Mas se você procurar saber a história de vida desse cara, você irá ficar chocado de como ela mudou do nada para o tudo. Sabe aquele filme que ele protagonizou, o “8 Miles” (ou 8 Milhas, em português)? A maior parte daquela história contada no filme, é a história real da vida dele.

Ele e sua mãe foram abandonados pelo pai quando o pequeno Marshall – nome real do Eminem – tinha apenas um ano e pouco. Morando sozinho com sua mãe em situação de pobreza quase miserável e mudando constantemente de estado, já na adolescência começou a tentar ganhar uns trocados pra ajudar sua mãe.

Trabalhava em restaurantes como limpador de prato e em outros empregos rápidos para conseguir qualquer dinheiro. Logo, se apaixonou por Rap e Hip Hop, e resolveu tentar uma vida artística. Começou participando de batalhas de Rap, até conseguir fazer alguns shows, ganhar concursos e assinar com uma gravadora pra lançar seu primeiro cd.

Hoje em dia ele é um dos melhores rappers do mundo, ganha milhões por ano, e ainda tem uma carreira múltipla, de cantor, compositor e ator.

2 – Mark Hoppus

Um simples estudante do ensino médio de uma escola em um cidadezinha chamada Poway, na Califórnia, se junta à dois amigos e forma uma banda que reformularia a forma do mundo todo ver o estilo de música “Punk Rock”.

Ele é um dos meus ídolos simplesmente pela suas múltiplas habilidades artísticas.

Esse cara consegue ser um dos melhores baixistas do mundo, um ótimo cantor, um compositor pica, um grande agente de bandas underground e ainda dono de um programa de tv. E ele consegue aliar tudo isso com o tempo para uma das melhores bandas de Punk atualmente, o Blink-182.

Sem contar que seu estilo é simplesmente foda. Seus milhares de cortes de cabelo diferentes e seus baixos altamente estilizados – vide o seu baixo cor de tutti fruti – fazem ele ser um cara épico.

1 – Dave Grohl

Na verdade, o motivo de eu escrever esse post é esse cara. Vou te dar os motivos dele estar em primeiro lugar aqui, ai você vê se concorda com a minha pessoa.

Primeiramente, começou a carreira de músico como baterista de uma banda desconhecida aí, chamada de Nirvana, e simplesmente tocou junto com Kurt Cobain, pouca merda po. Enquanto participava da banda, Dave sempre escrevia e compunha músicas, mas Kurt nunca deu uma chance para ele mostrar serviço fora da bateria.

Depois desse tal de Kurt Cobain se suicidar e assim terminar a pequena e desconhecida Nirvana, Dave Grohl entrou em uma banda (que eu sinceramente não lembro o nome e o Google ta muito distante pra eu procurar) como baterista, mas logo o vocalista falou para ele não continuar na banda, pois ele tinha muito talento para escrever e compor músicas, e que ali ele estaria jogando tudo fora. Disse que via nele um dos futuros maiores vocalistas do mundo. E o filho da mãe tava certo.

Dave saiu dessa tal banda e fundou a Foo Fighters. No primeiro cd da “banda”, a bateria, a guitarra e o vocal eram feitos pelo próprio, enquanto o baixo ficava por conta de um amigo dele. Logo, recrutou alguns conhecidos para a banda e assim rumou ao estrelato. A banda no início mudou bastante a sua formação, mas a atual já está firme a alguns anos.

Com uma voz fuderosa e uma habilidade aguda para compor músicas, Dave Grohl criou músicas mundialmente famosas como Times Like These, My Hero, Learn To Fly, entre outras.

Esse mesmo cara recentemente expulsou um manolo de seu show, pois o tal estava incitando briga no meio da galera. Dave simplesmente parou o show e esculachou o cara ali mesmo, dizendo algo do tipo “Ei, você de camisa listrada, olha pra mim seu filho da puta, você não vem ao meu show pra brigar, você vêm pra se divertir e dançar, seu merda. Saia do meu show agora!”.

Ele é simplesmente Dave Grohl, o cantor mais foda que eu conheço e que já se tornou uma lenda. No futuro, todos irão falar dele como um dos grandes roqueiros da nossa época.

Então se eu fosse vocês aproveitaria ao máximo agora esse tipo de talento que ainda existe, pois num futuro bem próximo, bandas como Restart estaram dominando o cenário músical, e você estará se perguntando “o que foi que aconteceu?”.

Então começamos a gravar o clipe.

Depois de pensar bastante em qual clipe fazer e levar em consideração o que você leitor achou melhor gravarmos (porra nenhuma, ignoramos completamente suas opniões), eu e meu grupo decidimos qual seria o clipe a ter honra de ser regravado por nós.

O clipe vai ser… tchan tchan tchan… Walk, do Foo Fighters. E começamos a gravar nessa última sexta, 05/08.

Perdi minha tarde toda peregrinando pelas longínquas terras do bairro Vila Kosmos, de norte à sul, em busca de lugares onde gravar as cenas do clipe. Aliás, eu, o resto do grupo, e mais dois participantes especiais da budega – um foi figurante e o outro só tava junto da gente porque era o dono da guitarra e do violão que usamos na gravação, e como ele não confia na gente (com razão), ele foi atrás de nós pra ficar de olho.

Ah, e uma pequena observação: o dono dos instrumentos tem o apelido carinhoso de Caixa D’água pela sua cabeça levemente deformada – não, ele não é paraíba – e, apesar de pedir que nós prezassemos pelo bom cuidado com sua guitarra, a própria tava com as cordas tão amarelas que eu tava com medo de pegar tétano naquela porra.

Voltando ao texto, esses aí são os malucos do grupo:

Caixa D’água ainda não tava nesse momento.

By the way, o pessoal da foto ai é o Caio, Rodrigo, Thiago, Atchim – é, isso mesmo – , Pedro e óbvio, eu.

Primeiro juntamos todos esses “porra louca” na porta da casa do Caio e depois fomos atrás dos instrumentos. Como já falei, o Gabriel (putz, falei o nome original do moleque. Ah, foda-se) veio junto porque não confiava na gente. Ele acabou virando nosso fiel escudeiro, também conhecido como trouxa que ficou carregando os instrumentos sozinho pela rua. Ou burro-de-carga, se você preferir.

Voltamos pra perto da casa do Caio e paramos pra pensar aonde diabos íamos começar a gravar. Resolvemos então começar pelo Espaço Cultural da nossa escola, que é uma outra locação fora da escola, na verdade de frente pra própria, que têm uma quadra, cantina, piscina etc e tal.

De lá, pulamos para a própria escola e usamos a cantina do nosso parceiro Marquinhos pra gravar o clipe. Com uma grande relutância em permitir, ignoramos a opnião dele, gravamos rápido a cena e metemos o pé. Nisso, fomos para a praça de Vila Kosmos gravar outro pedaço.

Caio fingindo que sabe tocar violão

Obs. 2 : Reparem na bermuda do Caio. Ele rasgou ela só pro clipe. Acontece que ele rasgou demais, ai ficou essa indecência pornográfica aí.

Não satisfeitos, demos a volta no bairro e voltamos para a porta do Caio. De lá, decidimos voltar para o Espaço Cultural.

Já de saco cheio, com fome e cansados de gravar a tarde toda, fizemos algumas cenas e paramos lá pelas 5 da tarde. Com isso, não conseguimos acabar o clipe, que terá as gravações finalizadas no mais tardar na terça, afinal é pra entregar essa joça na quinta. Na própria terça já devemos passar as filmagens para o nosso mega produtor Lucca – craque em edição de vídeo – para finalizar o clipe. Quem quiser contratar o Lucca, ele nos cobrou apenas um almoço.

Mas pra já dar um pequeno gostinho de como vai ser, aí vai uma pequena prévia do clipe, de apenas 13 segundos e com o som original da gravação.

Ignorem o idiota que grita “Que golaçoooo” no fundo vídeo, gravamos essa parte na quadra do Espaço Cultural e o animal do Thiago não sabe calar a boca.


Follow Politicamente Corretos 4.0 on WordPress.com

Visitas

  • 128,813 Bizoiadas

Destaques

Desenhos/séries que marcaram minha infância : Você têm saudades de quando era criança? Então saiba aqui os 5 desenhos que sinto mais falta;

Caos no Rio de Janeiro : Saiba tudo o que aconteceu quando houve a grande guerra entre o morro e a polícia carioca, além da tomada do Alemão;

Prêmio multishow, um fiasco : A versão 2010 do prêmio que premia as melhores bandas e cantores do Brasil foi um tanto quanto estranha. Saiba porquê.

-Mais dos melhores posts você vê aqui


%d blogueiros gostam disto: